CYPE 2010.c

23 Agosto, 2009.

A CYPE Ingenieros pôs à disposição dos profissionais de engenharia, a nova versão do CYPE, 2010.c. Com este lançamento o CYPE reafirma a sua posição como líder no mercado de suites de software de cálculo na área da construção. As novidades apresentadas incluem novos módulos e funcionalidades acrescidas aos módulos existentes, entre as quais se destacam a melhoria significativa na gama de ligações metálicas possíveis e o aperfeiçoamento das capacidades de exportação.

Descarregar

A consultar:
Página da CYPE Portugal


Outros artigos interessantes:

Técnicas de Reforço Estrutural Sísmico de Construções de Adobe
ArkTec Lança Tricalc 8.0
As Melhores Estruturas de Engenharia Civil de 2013
Utilização de Nanocristais de Celulose no Reforço de Estruturas
Avaliação do Estado de Pontes: Passado, Presente e Futuro
Ftool 3.00

Tópicos Relacionados

         -  Dúvida estrutura de uma garagem
         -  Estruturas com Rachaduras
         -  Cresce mercado de estruturas pré-fabricadas em Moçambique
         -  Comportamento de Alvenaria de Betão Armado
         -  Quais Softwares para Cálculo de Estruturas são mais Confiáveis e mais Utilizados?
         -  CypeCad - Uniformização de armaduras
         -  Casos de Estudo de Estruturas Antigas
         -  Classificação estrutural de elementos construtivos de madeira
         -  Mecanismos de Tranferência de Cargas em Paredes de Alvenaria
         -  Análise Numérica de Elementos de Betão Reforçado com Fibras Metálicas

Últimos Tópicos

         -  Taxa de Empolamento
         -  Sistema para Elaboração e Análise Orçamento de Obras
         -  software arquimedes
         -  Massimo Sanità é o novo diretor geral de Adesivos de Consumo da Henkel Ibérica
         -  Seismic Safety - ISTAMBUL 2014
         -  4 tipos de pedras para construção de muro
         -  Contratam-se Engenheiros Civis - prazo de candidaturas termina no dia 7 de Abril
         -  Engenheiro Civil Sénior - Orçamentista
         -  Empresa em expansão procura Engenheiro Civil com dominio da língua francesa
         -  Multilusa procura engenheiro civil para Angola

          

Artigos Relacionados

         -  Ftool 3.00
         -  Ponte Hans-Wilsdorf – Uma Reinterpretação das Estruturas Tradicionais em Treliça
         -  Impressão Tridimensional de Varões de Aço Poderá Revolucionar Indústria da Construção Civil
         -  Avaliação do Estado de Pontes: Passado, Presente e Futuro
         -  Novo Robot Para Inspeção de Estruturas Capaz de Subir Paredes Desenvolvido nos EUA
         -  Utilização de Nanocristais de Celulose no Reforço de Estruturas
         -  Estruturas Esbeltas – Da Rotura à Funcionalidade
         -  As Melhores Estruturas de Engenharia Civil de 2013
         -  Controlo de Qualidade de Estruturas de Betão Reforçado com Fibras de Aço
         -  Investigadores do MIT Descobrem por Acidente Mecanismo de Autorreparação de Metal

Vídeos Relacionados

         -  As Maravilhas das Estruturas Esbeltas
         -  Processo de Autorreparação do Aço
         -  Oscilação Elevada de Edifícios Durante Sismo
         -  Processo de Construção da Nova Estrutura de Confinamento de Chernobyl
         -  Corte de Aço Visto ao Microscópio
         -  Obra de Arte Ferroviária Movida na Dinamarca
         -  O Edifício Flutuante de Provo
         -  Um dos Maiores Ensaios Sísmicos do Mundo
         -  Rotação de Ponte em Bratislava
         -  Construção de Arcos com Blocos de Betão

52 Comentários a CYPE 2010.c

  1. Adérito Silva

    Bastante bom

  2. Sónia

    Olá a todos, acham que vale a pena o investimento nesta nova versão?

  3. Hugo C. Andrade

    Tem algumas melhorias interessantes. Mas eu tenho alguns módulos do 2009 e estou bastante satisfeito

  4. Hélio Pinto

    Mas vocês são patrocinados pelo cype ou quê? O programa é uma nulidade. Faz dimensionamento com uma margem de segurança absurda e é do tipo “entra porco sai chouriço”

  5. Marina Oliveira Costa

    Hélio, a parte de dimensionamento estrutural realmente não é uma maravilha, mas os módulos das especialidades são muito bons. Não confunda CYPE com CYPECAD!

  6. PP

    Sempre a inovar

    5 estrelas

  7. Tijolão

    Vejam aqui: http://www.cype.pt/

    Onde está a versão 2010? Ainda não sofreu a suposta depuração da CYPE Portugal ?

  8. Simão

    Sónia: para o trabalho do dia a dia não vale a pena o investimento (se tiver a 2009), no entanto se trabalhar muito com estruturas metálicas vai notar grandes melhorias

  9. eduardo ms

    Não sei porquê tanta crítica constante ao CYPE. Encontram mais alguma coisa no mercado que tenha sequer metade das funcionalidades? Realmente pode não ser um espectáculo na apresentação dos cálculos estruturais mas´no conjunto é bastante bom.

  10. Luis Costa

    E o Tricalc?

  11. Marta Luisa Rebelo

    A versão 2010 já existe em Português, aliás, vem incluída no download acima. Não percebo porque é que a CYPE Portugal ainda não actualizou a página

  12. Eduardo Saraiva

    Luis, o Tricalc só faz a parte estrutural. Todas as outras especialidades ficam de fora.

  13. Acnem

    excelente . mais uma grande actualização

  14. Albertino

    5*

  15. Teresa Caeiro

    Lista completa de melhorias em Castelhano (aqui-http://descargas.cype.es/#2010c):
    -Implementación de Normativa y mejoras en su aplicación
    -Implementación de normativa
    -Mejoras en la aplicación de normativa
    -Nuevo Metal 3D y Estructuras 3D integradas de CYPECAD
    -Listados detallados de comprobaciones de estados límite últimos
    -Generador de Pórticos
    -Coeficiente de dirección de viento
    -Factor estructural o Coeficiente dinámico
    -Instalaciones del edificio. Incendio. Seguridad en caso de incendio DB-SI
    -Nuevos tipos de proyecto
    -Instalaciones del edificio. Salubridad. Evacuación de aguas DB-HS 5
    -Arquetas de bombeo
    -Instalaciones del edificio. Electricidad
    -Conexión con la solapa Pararrayos, Cumplimiento del CTE DB-SU 8
    -Nomenclatura de circuitos interiores
    -Información en pantalla de las cargas introducidas
    -Cargas definidas por el usuario
    -Magnetotérmicos
    -Presupuesto de la instalación

  16. Toni Borges

    Marta e Tijolão [;)] a resposta à vossa dúvida (muito frequente) está aqui num comentário do Ricardo Figueira da Topinformatica:
    http://www.engenhariacivil.com/cype-20091f

  17. Letícia Almeida (EngªCivil)

    “A versão 2009.1 foi lançada oficialmente para Portugal no dia 4 de Dezembro de 2008.Foi lançada na revisão f, ou seja, 2009.1.f. Esta revisão foi a primeira versão oficial em Portugal.

    As versões devidamente validadas para Portugal apenas podem ser encontradas no site http://www.cype.pt ou http://www.topinformatica.pt. As versões que se encontram no site espanhol são versões ‘beta’ (ou seja, versões de teste) que nunca são disponibilizadas aos clientes Portugueses.

    Cumprimentos,

    Ricardo Figueira”

    Versões Beta? Mas pelo que o site Espanhol diz são versões finais. Podem ter a certeza que a versão 2010c é uma versão final. Se ainda não foi revista pela casa portuguesa, isso é outra coisa.

  18. Elídio R.

    classifiquei cinco estrelas

  19. Goba

    @Hélio Pinto

    Posso perguntar em que é que o Cypecad erra? Mas não me fale de coisas genéricas do actual boca-a-boca… diga-nos concreta e analiticamente o valor da razão que o programa usa para a tal “Margem de segurança absurda” que apontou.
    Aproveito para lhe perguntar se usa o programa ou apenas recebe projectos feitos pelo Cypecad… é que já vi gente a usar 4 kN/m2 em pisos de habitação… e contra isso não há programa que aguente!
    Dessa forma, e para proveito de toda a gente, enumere-nos os pontos em que o Cypecad erra! Obrigado!

  20. tiago

    Tira o engenho da engenharia.

    Programas a sério são o ROBOT, o SAP, o LUSAS, o TDV por exemplo, aliados a folhas de cálculo em excell, um bloco de papel, um lápis e uma calculadora….

    Cumprimentos

  21. Goba

    @tiago

    Assim sendo podemos assumir que quem usa Windows em vez de Linux, está a desaprender de como usar um computador, certo?

    Robot e/ou SAP200 e restantes são bons para calcular pontes, barragens, plataformas petrolíferas e demais estruturas de complexidade muito elevada.

    Que eu saiba o Cype foi criado para solucionar estruturas de edificação corrente.

    Será tão incoerente comparar programas com propósitos diferentes, assim como usar programas tipo SAP2000 para calcular os comuns edifícios e moradiazecas que habitualmente se constroem em Portugal.

  22. Pedro Silveira Pereira

    Tal como todos os programas de cálculo automático,também o CYPECAD tem as suas limitações e vantagens.Não existem programas melhores que outros,existem sim,programas destinados para os devidos fins.Aprendam a trabalhar com todos,trabalhem com todos, e adaptem o vosso trabalho às vossas necessidades.

  23. tiago

    Robot e/ou SAP 2000 são bons para calcular tudo. Desde as coisas mais simples às mais complexas. Tem é de se saber o que se está a fazer. Posso te dizer que já fiz muitos projectos de edifícios e sempre usei o ROBOT. Uns dos trabalhos que fiz foi uma revisão de um projecto de um edifício cujo autor tinha utilizado o Tricalc. Adoptando uma concepção ligeiramente diferente (relativamente aos núcleos das caixas de escadas) e refinando o cálculo obteve-se uma redução de quantidades enorme.

    A minha critica vem sobretudo porque na minha opinião os projectos feitos nesses programas são regra geral de pior qualidade e demasiado conservadores levando a custos de construção que poderiam ser menores. E, isso acontece porque é demasiado fácil utiliza-los e isso permite que muita gente sem formação ou experiência adequada faça projectos o que implica preços de projecto muito reduzidos e aniquila toda a concorrência que faz projectos com “cabeça, tronco e membros”.

    Pena é que a grande maioria das pessoas que encomenda projectos preocupa-se que estes sejam baratinhos e não se apercebe que poderia economizar umas valentes massas na construção se optasse por um projecto de melhor qualidade.

    Cumprimentos

    PS. Tendo Linux também é possível usar o ROBOT ou SAP.

  24. Goba

    @Tiago

    Assim sendo fez uma alteração estrutural que lhe provocou uma redução na armadura… isso podia ter sido feito com qualquer programa, inclusive o Tricalc.

    Claro que o SAP e Robot dão para calcular tudo… agora se são produtivos para os projectos que referi, aí tenho as minhas sérias dúvidas.

    Mas lendo o seu comentário chego então à conclusão que a sua crítica diz respeito à má utilização dos programas e não que existem programas a sério e outros não… e nisso só posso concordar consigo.

    Relativamente aos projectos de má qualidade e baratos… faça como eu, queixe-se à Ordem, ANET e LNEC, para que essa gente comece a pensar em implementar a revisão de projecto! Veria que a qualidade e preço dos projectos iria subir num instante! Quem sabe projectar, tudo bem… quem não sabe, teria o projecto chumbado! Nada mais simples!

  25. Nuno Pinto Ferreira

    @Tiago

    Deixo algumas perguntas no ar:
    Ser fácil de usar é necessáriamente mau?
    Todos os projectos feitos com SAP, ROBOT, etc são obrigatóriamente bons?
    Se retira o engenho à engenharia, porque usa o SAP, ROBOT, etc, em vez de simplesmente, e apenas, usar um lápis?

    Um abraço.

  26. Samuel Santos

    Apresento algumas duvidas:

    1 – Como faço para obter o CYPE 2010?

    2 – Qual é a diferença entre o CYPE e o CYPECAD?

    3 – Que vantagens possui o 2010 comparativamente aos softwares mais antigos?

    4 – O software é capaz de suprir as dificuldades de dimensionamento comparativamente aos softwares antigos?

    5 – Como faço o download do programa?

    Atenciosamente e Obrigado

  27. tiago

    @Nuno Pinto Ferreira

    Ser fácil não é necessariamente mau mas ajuda a ser mau.

    Os projectos feitos com SAP, ROBOT,etc não são obrigatoriamente bons, depende de quem esta a faze-los. Normalmente, e por não ser tão simples de usar, quem está por trás sabe realmente o que faz.

    O lápis é sempre usado, desde a concepção onde se fazem algumas contas de pré-dimensionamento e na fase final, no dimensionamento. Como deve imaginar o cálculo estrutural é complexo e demora algum tempo e faze-lo à mão não é produtivo. E, como vivemos numa época em que é necessário racionalizar os meios, o excel é um óptimo substituto do lápis e do papel.

    Abraço

  28. boss

    Para o panorama de cálculo de estruturas de edificios, CYPECAD tem o enorme defeito em comparação com TRICALC, ROBOT, SAP, etc… pois é o único que só permite utilizar 3 graus de liberdade por nó.
    -Não permite calcular coisas tão simples como calcular piscinas, um simples pórtico, um pilar único, uma viga única, coberturas e rampas com estudo dos esforços axiais…
    -Análise de temperatura em lajes e paredes é inviabilizada pelo explicado.
    -Análise de edificios em planta em U ou L ou V ou outros, não permite considerar os esforços axias nas lajes obrigando a colocar juntas para separar os corpos (por questões de funcionamento sismico).
    Não tem cálculo de 2ª ordem (economia à custa de um maior esforço de cálculo do programa e essencial para analisar algumas concepções estruturais).
    -Calcular qualquer barra como tirante (só permite cruzes de sto André)
    - Não permite num só cálculo modelar betão, aço, madeira, escadas etc (são vários programas que exportam reacções resultantes do calculo para o modelo principal. Por exemplo, uma estrutura metalica sobre uma de betão, se a de betão de suporte se deformar vai afectar o cálculo da estrutura metálica?)
    - Os 3 graus de liberdade são considerados por plano e não por laje, o que quer dizer que num piso vigado, em que metade tem vigas e laje e a outra metade tem as vigas mas sem laje, esse programa considera o piso como todo indeformável e não só a zona que contém laje.

    Em resumo, uma simples limitação de graus de liberdade condiciona o comentado e muito mais que tenha a ver com isso.
    Os projectistas o que fazem é limitar as suas soluções estruturais ás que o programa permite calcular… o que é limitar o engenho do projectista e o bolso do cliente.

    Se alguém chegou até este ponto do texto, muito mais haveria a comentar de limitações deste programa que é dos mais utilizados em Portugal (muito graças à pirataria).

    TRICALC – Excelente modelo de cálculo de barras, grelhas e elementos finitos.
    Um único programa. Ou seja, pode apllicar-se num modelo único TODOS os módulos que dispões e é feito o calculo integrado de todo o modelo.
    Gera todas as peças desenhadas com qualidade de execução e até preparação de obra.
    Tem função de composição de folhas para preparação das folhas para impressão.
    Opinião Subjectiva: Excelente produto de grande produtividade e ferramentas de introdução do modelo de cálculo entre os mais simples e poderosos.

    ROBOT- Excelente modelo de cálculo de barras e elementos finitos.
    Vários programas para estudo das tipologias soportadas, lançados a partir do programa principal.
    Para algumas análises recorre-se ao apoio de folha de excel, com os dados obtidos do programa (possibilidade de erro humano e tempo consumido)
    Não tem tantos módulos de dimensionamento de várias tipologias estruturais como outros programas, mas tem alguns pormenores de estudo interessantes.
    Geração de desenhos de grande parte dos elementos calculados, mas exige sempre trabalho de desenho de cad para apresentação final ou aquisição de outros softwares para composição das folhas
    Opinião Subjectiva: Excelente produto, mas de complexa utilização, não resolvento automáticamente todos os dimensionamentos, exigindo muita intervenção do utilizador. A preparação do projecto exige muitas horas de preparação em cad ou a aquisição se outros software para tratar os desenhos.

    SAP- Excelente modelo de cálculo, permitindo quse todos os tipos de elementos possíveis e imaginários para estudo de estruturas.
    Só faz cálculo de sismo e esforços.
    O dimensionamento das armaduras e desenho tem de ser realizada fora do programa por plugins ou por folhas de excel.
    Opinião Subjectiva: Excelente programa de estudo de estruturas. Baixa produtividade para criação de projectos, exigindo uma grande logistica em termos de dimensionamento de armaduras e desenho das peças. Muita intervenção humana no processo, com grande probabilidade de ocorrência de erros.

    Calcular à mão…, só para aquilo que os programas não consigam realizar.
    Exemplo: Dimensionar E DESENHAR uma mesa (4 pilares, 4 vigas e 1 laje)
    À mão calcula-se, mas podemos ter erros ou lapsos, mesmo recorrendo a folhas de excel. E desenhar… quanto tempo?
    Num programa como o TRICALC, por exemplo é um processo, com a comprovação, desenho e composição de folhas de poucos minutos.
    Os programas de cálculo não são papões e têm ferramentas de :
    - Verificação da coerência da geometria
    - Verificação da ocorrência de mecanismos no calculo
    - Verificação da comprovação dos elementos
    - etc…
    Nenhum programa protegerá o exagero como alguém colocar acções desmesuradas é obrigatório saber engenharia…
    É a minha opinião…

  29. João Ruas

    @boss

    Pela frase em diz: “-Não permite calcular coisas tão simples como calcular piscinas, um simples pórtico, um pilar único, uma viga única, coberturas e rampas com estudo dos esforços axiais…” percebe-se logo que não conheçe o programa.

    Não permite calcular um pilar único !? um pórtico ?! Por acaso já tentou?? vê-se logo que não!! Isso e mais uma porrada de coisas como não ter cálculo de 2ª ordem…

    Algumas frases como “-Análise de edificios em planta em U ou L ou V ou outros, não permite considerar os esforços axias nas lajes obrigando a colocar juntas para separar os corpos (por questões de funcionamento sismico).” fazem-me crer mesmo que não percebe muito do que está a falar. Juntas de dilatação por questões sísmicas?! O programa obriga a isso?? desde quando??

  30. Luis

    @Boss

    Este seu tipo de comentário, parece mais um comentário comercial tipo tricalc, daquelas publicidades que a tricalc faz, onde só diz mal dos outros sem os conhecer, o chamado bota abaixo…

  31. Sebastian

    Tenho o cype quase completo e noto cada vez mais o cypecad (betão) com menos novidades, por isso não estou nada entusiasmado com a versão 2010.
    Há aspectos q se queremos estudar a fundo como funciona uma estrutura cype não é um bom programa. Estou de acordo com o colega que diz que é bom para introduzir poucos datos e obter um “chouriço” :)
    Quando comprei o programa deixei-me ir na onda dos comerciais de comprar o pakote de programas que os programas eram todos iguais e os preços deles de tudo junto era muito melhor.
    Depois percebi pq era mais barato e poruqe o comercial estava sempre a telefonar-me e parecia q o programa fazia tudo.

  32. Goba

    @boss

    Enumerou as vantagens e desvantagens de 3 programas e criticou um que nem sequer sabe descrever! Dessa forma irei comentar o seu texto, se me permite, claramente tendencioso!

    “-Não permite calcular coisas tão simples como calcular piscinas, um simples pórtico, um pilar único, uma viga única, coberturas e rampas com estudo dos esforços axiais…”

    O cypecad permite calcular um só pilar, ou viga perfeitamente… permite até calcular uma sapata só, caso seja necessário. As paredes laterais das piscinas podem ser analisadas e calculadas caso não se tenha fechado o contorno da piscina… e os esforços nos arranques são transmitidos perfeitamente para a laje de fundação. Dessa forma calcula a piscina (uma coisa complicadíssima!) se pretender.

    “-Análise de temperatura em lajes e paredes é inviabilizada pelo explicado”

    Não faz a análise com variação de temperatura… certo! Mas posso contar pelos dedos das mãos, os projectos que vi com mais de 30 metros de desenvolvimento sem junta de dilatação, facto esse que dispensa essa verificação, citando o REBAP.

    “-Análise de edificios em planta em U ou L ou V ou outros, não permite considerar os esforços axias nas lajes obrigando a colocar juntas para separar os corpos (por questões de funcionamento sismico).”

    Qualquer sebenta de sísmica (recomendo a do LNEC) recomenda a separação dos corpos em L ou U de forma a evitarmos a confluência de esforços nos cantos das estruturas com riscos de fendilhações e mau funcionamento estrutural. Relembro que as estruturas em L ou U são, por norma, estruturas desequilibradas e de mau comportamento sísmico devido ao facto de que o centro de massa ficará, normalmente, longe do centro de rigidez, com todos os problemas de comportamento de daí surgirão (aumento de armadura, etc)!

    “Não tem cálculo de 2ª ordem (economia à custa de um maior esforço de cálculo do programa e essencial para analisar algumas concepções estruturais).”

    Errado! Calcula com excentricidade de 2ª Ordem analisando posteriormente a estabilidade da estrutura nas duas direcções em relação ao valor de deslocamento introduzido e considerado pela norma escolhida pelo projectista.

    “-Calcular qualquer barra como tirante (só permite cruzes de sto André)”

    Tirantes são calculados no Metal 3D… programa entretanto integrado no Cypecad.

    “- Não permite num só cálculo modelar betão, aço, madeira, escadas etc (são vários programas que exportam reacções resultantes do calculo para o modelo principal. Por exemplo, uma estrutura metalica sobre uma de betão, se a de betão de suporte se deformar vai afectar o cálculo da estrutura metálica?)”

    O módulo de escadas é calculado dentro do Cypecad e posteriormente é colocado na laje, pelo programa, os esforços dessa escada… podemos dizer que a inércia da escadas não é considerada em conjunto com a estrutura. Por outro lado vejamos as coisas como elas realmente são… em obra, as escadas são construídas depois de se ter betonado os pilares… dessa forma não há interacção das escadas com os pilares relativamente ao patim intermédio pois este descarrega numa parede de alvenaria ou outra para o efeito. A inércia da laje da escada poderia ter relevo quando calculada em zonas sísmicas de risco elevado e edifícios em altura, mas o que é que acontece nesses casos, sendo uma recomendação do LNEC e mesmo internacional? Correcto! As escadas estão dentro de um núcleo de betão tornando despresável a inércia da laje de escadas para o conjunto da estrutura.
    Por outro lado, em conjunto com o Metal 3D pode modelar simplesmente esses elementos (madeira, alumínio, enformados, laminados, etc) … e uma estrutura metálica, colocada sob uma estrutura do Cypecad, é dimensionada tendo em conta a deformação das lajes, pilares e/ou vigas de apoio… sendo a integração, total.

    “- Os 3 graus de liberdade são considerados por plano e não por laje, o que quer dizer que num piso vigado, em que metade tem vigas e laje e a outra metade tem as vigas mas sem laje, esse programa considera o piso como todo indeformável e não só a zona que contém laje.”

    Novamente errado! Certamente desconhece as “vigas inclinadas” do Cypecad. As “vigas inclinadas” são vigas com 6 graus de liberdade admitindo, ao contrário das outras vigas do Cypecad, flexão lateral. Dessa forma, e se tem um plano deformável, basta usar as “vigas inclinadas” e irá eliminar o critério da indeformabilidade do plano nesse contorno definido. Essas mesmas vigas, que poderão ser de betão ou metálicas, serão dimensionadas também à tracção ou compressão no seu plano. De referir que as vigas poderão ser colocadas horizontalmente como sendo uma viga corrente.

    “Se alguém chegou até este ponto do texto, muito mais haveria a comentar de limitações deste programa que é dos mais utilizados em Portugal (muito graças à pirataria).”

    Acho que é graças ao que o programa oferece e à produtividade que dele se obtém, em conjunto com a excelente assistência que a Top-Informática proporciona aos clientes (têm sido de uma elevação e prontidão de se louvar… pelo menos nas dúvidas solicitadas por mim)… e se tivesse perdido uns minutos a experimentar o software em vez de escrever este testamento, podia ser que até nem o tivesse publicado!

    Cumprimentos.

  33. artur

    “TRICALC – Excelente modelo de cálculo de barras, grelhas e elementos finitos.
    Um único programa. Ou seja, pode apllicar-se num modelo único TODOS os módulos que dispões e é feito o calculo integrado de todo o modelo.
    Gera todas as peças desenhadas com qualidade de execução e até preparação de obra.”

    Com qualidade de execução, deve de estar a brincar (tudo o resto que disse é verdade, e eu sou utilizador Cype), pq as peças desenhadas do tricalc são pratiamenete ilegiveis,ou sou eu que tenho tido azar e so tenho apnhado coisas mal engendradas.
    O qudro de pilares- valha-me deu é preciso uma paciencia de chines para o ler.
    As plantas são horriveis (entao comparar saidas de fungiormes aligeiradas do tricalc para o Cype é como comparr um tintoreserva com um vinagre)
    Os quadros de sapatas e de vigas paciencia chinesa
    Apesar de concordar cm a sua critica em relação ás limitações, so ainda não troquei por causa dos desenhos, que em obra é o mais importante.
    Tambem pode ser queseja eu que tenha azar com os projectos de tricalc que me chegam ás mãos:
    Se uma pessoa quiser exprimentá-lo dão-nos uma versão limitada a 10 nós, 50 m2 e meia duzia de barras.
    Se uma pessoa quiser experimentar o cype, tem uma licença after hours que pode experimentar á vontadinha, depois apesar de limitados são liders de mercado.
    Das apresentações que vi d tricalc a entrada de dados é pesada e confusa (pareceu-me, visto que nunca utilisei)
    Agora se um soft tem limitações, cabe ao utilizador dar a utilização correcta face a essas limitações.

  34. Pedro Maia

    Sou utilizador de Tricalc e Cypecad e a análise de 2ª ordem que ambos os programas afirmam possuir são completamente distintas por se basearem em métodos de análise completamente diferentes.

    A actual análise de 2ª ordem do Cypecad (equivalente à antiga análise de 2ª ordem do Tricalc) assenta na colocação por parte do utilizador de coeficientes de amplificação de acções. Este método é extremamente subjectivo pois depende da sensibilidade dos coeficientes que cada projectista decida utilizar. Por esse motivo as regulamentações optam sempre por serem muito restritivas relativamente à utilização deste método, através da aplicação de factores de segurança elevados…O facto de ambos os programas terem este método não quer dizer que seja o mais aconselhado…

    A actual análise do Tricalc é uma análise muito mais exacta, permitindo maior segurança na análise que se realiza (grau de subjectividade muito menor e reconhecidamente menos penalizada em termos de factores de segurança pelas regulamentações). Basicamente o que o Tricalc faz é calcular a deformada da estrutura para cada combinação de acções realizada, e para cada deformada, voltar a colocar as acções sobre a estrutura repetindo este processo até obter uma solução em que os acréscimos de deformada já são insignificantes. Como facilmente se pode notar o grau de subjectividade desta análise é imensamente menor e portanto a segurança na análise que se realiza muito maior, pelo que os factores de segurança adoptados pelas regulamentações para este tipo de análise são muito menores o que implica directamente na economia da estrutura. Para os interessados neste tema incluo endereço de uma newsletter (http://www.arktec.com/portugal/newsletter0709/index.htm) que me foi remetida pela Arktec em que se aborda este tema.

    Portanto não creio que seja legitimo, na situação actual, confundir a análise de 2ª ordem realizada pelos dois programas uma vez que as diferenças entre ambas são demasiado evidentes e importantes para quem se preocupe com o rigor e qualidade da análise que faz.

  35. inácio

    Ah… Artur, então queres meter o porco e tirar o chouriço?? Há que gastar tempo a tratar os desenhos. A malta julga que é só calcular e imprimir.

    Façam os projectos de forma que se perceba o que é para fazer!

    Cumps

  36. boss

    @goba

    Em resposta a Goba e relativamente à questão do meu comentário ser tendencioso tenho as suas frases do comentário do dia 10/09/2009 como exemplo:

    “Robot e/ou SAP200 e restantes são bons para calcular pontes, barragens, plataformas petrolíferas e demais estruturas de complexidade muito elevada. Que eu saiba o Cype foi criado para solucionar estruturas de edificação corrente. Será tão incoerente comparar programas com propósitos diferentes, assim como usar programas tipo SAP2000 para calcular os comuns edifícios e moradiazecas que habitualmente se constroem em Portugal.”

    Ou seja, segundo a sua perspectiva neutral, é INCOERENTE usar programas tipo SAP2000 (depreendo que se refere a SAP, ROBOT e restantes) para “calcular edifícios e moradiazecas que habitualmente se constroem em Portugal.”. Ou muito me engano ou existem por aí várias Universidades incoerentes a ensinar a calcular projectos de edifícios com SAP, ROBOT, TRICALC e STRAP…Além disso penso que em Portugal não se calculam e constroem edifícios muito diferentes do resto da Europa…

    Ainda segundo a sua perspectiva neutral o Cypecad permite calcular piscinas pois …”As paredes laterais das piscinas podem ser analisadas e calculadas caso não se tenha fechado o contorno da piscina… e os esforços nos arranques são transmitidos perfeitamente para a laje de fundação. Dessa forma calcula a piscina (uma coisa complicadíssima!) se pretender.”…

    Qual a piscina que não tem o contorno fechado? Portanto o que depreendo é que o programa não permite calcular esta tipologia, sendo necessário o projectista ‘inventar’ estratagemas para contornar as limitações do programa. E com que garantias é que assume que esse estratagema é válido? É que podemos estar a esquecermo-nos de alguma implicação inerente à simplificação ou estratagema que inventámos. Além disso simplificar por simplificar porque não se calcula a piscina simulando-a com uma barra de 1m de largura em consola?…

    Se considera que o exemplo da piscina é ‘pouco exigente’ sempre posso alargar a analogia para as centenas de variantes de reservatórios que se calculam (com laje de topo, sem laje de topo, com pilares interiores, sem pilares interiores, com lados inclinados, enterrados, semi-enterrados, elevados, etc… Além disso a verificação da fendilhação nas lajes e paredes dos reservatórios e piscinas é algo que deve ser analisado com critério, situação que penso ficar comprometida quando o nosso modelo nem sequer pode ter o contorno fechado e portanto não modela correctamente a nossa estrutura…

    Outro ponto interessante do seu comentário é:
    “Não faz a análise com variação de temperatura… certo! Mas posso contar pelos dedos das mãos, os projectos que vi com mais de 30 metros de desenvolvimento sem junta de dilatação, facto esse que dispensa essa verificação, citando o REBAP.”

    Já reparou que me disse que não existem muitos edifícios com mais de 30m sem junta de dilatação porque se fazem juntas em todos os restantes?…Porque não referiu antes que existem muitos edifícios com mais de 30m em que se fizeram juntas, para evitar calcular a temperatura?…

    Portanto a questão nunca foi o número de projectos com mais de 30m sem junta ou a dispensa do REBAP que penso todos conhecemos. A questão é existirem projectos que não necessitam ou em que se aconselha a não existência de juntas e sermos obrigados a colocá-las porque a nossa ferramenta de cálculo não sabe resolver a questão da temperatura em lajes e aí colocamos juntas…
    É necessário evoluirmos. Se é possível realizar edifícios mais funcionais e económicos devido à ausência de juntas, temos de os saber (e poder) calcular.

    Relativamente às estruturas em U e L tenho de reconhecer-lhe razão no que afirma. A minha explanação não foi a mais feliz.

    A análise de 2ª ordem utilizada pelo Cypecad é a mais simplista que existe e está fortemente condicionada pela escolha que o projectista faz dos coeficientes utilizados para simular esse tipo de análise. A análise de 2ª ordem que normalmente se realiza é a denominada análise P-Delta como o Robot, SAP, Tricalc e STRAP fazem.

    Também os tirantes calculados no Metal 3D (e não no Cypecad), como referiu, são calculados de forma simplificada. Para calcular correctamente os tirantes é necessário muito mais do que o actual método simplificado existente no Cypecad, que nem sequer permite liberdade na introdução de tirantes em qualquer parte da estrutura.

    Mais um exemplo da confusão entre o que o programa Cypecad faz e o que deveria fazer é a denominada integração do Metal 3D com o Cypecad. Integração só existe uma, é o modelo estar todo modelado numa única matriz de rigidez em que o cálculo é realizado tendo em conta a interacção de todos os elementos tal como fazem, uma vez mais, Robot, Sap, Tricalc e Strap e outros. Falemos claro (e aqui o goba poderá esclarecer-nos relativamente a estas dúvidas): quando se introduzem as acções sísmicas sobre a estrutura em Cypecad a estrutura de aço do Metal 3D é considerada? Ou será que quando se introduzem as acções sísmicas sobre a estrutura metálica a estrutura de betão é considerada? As acções da estrutura metálica estão presentes para solicitar a estrutura de betão quando se calcula esta (para cada combinação de acções de forma individual)? E essas acções são introduzidas já com a estrutura de betão deformada ou por deformar? E essas acções que vêm da estrutura metálica já tiveram em consideração a deformada da estrutura de betão? E poderia levantar mais uma série de questões que demonstram claramente os problemas inerentes à simplificação que se utiliza. E chamar a essa simplificação de calculo ‘integração total’ é no mínimo ‘tendencioso’ para utilizar uma expressão de goba…

    A história das vigas inclinadas horizontais para retirar a indeformabilidade de lajes em zonas que não existe laje é por demais confusa para sequer comentar. Pensei que vigas inclinadas eram vigas inclinadas e não seriam horizontais, porém… igualmente penso que zonas sem laje deverão ser zonas sem indeformabilidade horizontal de lajes porque não têm lajes… tão simples quanto isto.

    E mais uma vez Cypecad deveria olhar para como fazem o Robot, Tricalc, Sap, Strap e outros… simples e com segurança. A consideração desta indeformabilidade em zonas em que não existam lajes pode ser muito perigosa em termos de projecto.

    Enfim segundo goba cypecad faz tudo. Na realidade faz uma espécie de piscina, faz uma espécie de tirantes, faz uma espécie de cálculo integrado entre estruturas metalicas e betão, uma espécie de lajes inclinadas, uma especie de análise de 2ª ordem, etc…

    Os outros programas também têm limitações, mas há que saber reconhecer as de cada um e valorar o seu peso na qualidade da análise que realizam e aí à claramente diferenças entre eles, que se reflectirão igualmente na qualidade e capacidade do trabalho que desempenhamos.

    Nunca referi nada relativo ao suporte da Top Informática e aliás nesse aspecto louvo a Top e a Arktec por serem as únicas empresas que se preocuparam em localizar o programa para o idioma Português e para a regulamentação nacional mostrando um respeito pelos profissionais portugueses que deveria ser seguido por todas as empresas de software que ganham dinheiro com os profissionais portugueses.

  37. Joao Cavaco

    Boas a todos. Acabei de adquirir para a empresa um portatil com o windows 7 64 bits com AutoCad LT 2010. Ao tentar instalar os pormenores constructivos do CYPE 2010, diz sempre que não foi detectada nenhuma instalação do AutoCad. Algum truque? AutoCad 2010 não é suportado pelo CYPE? Ou será por ser em 64 bits? Se alguém souber alguma solução agradecia que me ajudasse.

  38. Goba

    @Boss

    “Ou seja, segundo a sua perspectiva neutral, é INCOERENTE usar programas tipo SAP2000 (depreendo que se refere a SAP, ROBOT e restantes) para “calcular edifícios e moradiazecas que habitualmente se constroem em Portugal.”

    Incoerente em termo de produtividade! São cálculos que não involvem grande complexidade… experimente calcular um edifício com os 4 programas mencionados… eu já o fiz e em termos de resultados bateu tudo no mesmo… menos em termos de produtividade. Mas se quiser andar de Ferrari na aldeia, esteja à vontade!

    “Ou muito me engano ou existem por aí várias Universidades incoerentes a ensinar a calcular projectos de edifícios com SAP, ROBOT, TRICALC e STRAP…Além disso penso que em Portugal não se calculam e constroem edifícios muito diferentes do resto da Europa…”

    Também se ensina nas Universidades a calcular edifícios com o Cype… aliás o Cype está presente em mais Universidades do que o Tricalc e ROBOT, por exemplo!

    “Qual a piscina que não tem o contorno fechado? Portanto o que depreendo é que o programa não permite calcular esta tipologia, sendo necessário o projectista ‘inventar’ estratagemas para contornar as limitações do programa. E com que garantias é que assume que esse estratagema é válido? É que podemos estar a esquecermo-nos de alguma implicação inerente à simplificação ou estratagema que inventámos. Além disso simplificar por simplificar porque não se calcula a piscina simulando-a com uma barra de 1m de largura em consola?…”

    Estratagemas inventados?! Qual é o problema de calcular as paredes em consola separadamente?? O que não percebeu do meu post? Como é que calculava uma piscina à mão? Não calculava os deslocamentos das paredes das piscinas como sendo troços isolados? Ou vai-me dizer que precisa de uma modelação em elementos finitos de forma a simular a rigidez da união perpendicular das paredes , de forma global? Pelo amor de Deus… estamos a falar de uma piscina :)

    “Se considera que o exemplo da piscina é ‘pouco exigente’ sempre posso alargar a analogia para as centenas de variantes de reservatórios que se calculam (com laje de topo, sem laje de topo, com pilares interiores, sem pilares interiores, com lados inclinados, enterrados, semi-enterrados, elevados, etc… Além disso a verificação da fendilhação nas lajes e paredes dos reservatórios e piscinas é algo que deve ser analisado com critério, situação que penso ficar comprometida quando o nosso modelo nem sequer pode ter o contorno fechado e portanto não modela correctamente a nossa estrutura…”

    Está a falar de reservatórios com variantes e com isso a tentar arranjar modelos complexos para ganhar a sua posição… mas não se esqueça que eu disse atrás que o Cypecad é um programa para edificação corrente… e que eu saiba não se vive em reservatórios.
    De qualquer forma, se tiver pilares interiores é porque tem laje de topo… logo pode modelar TUDO no cypecad… eterrado, semi-enterrado, etc! E preocupa-lhe a fendilhação? Então controla-se os deslocamentos e coloca-se uma malha com espaçamentos comuns para a tipologia do modelo… algo que quem dimensiona reservatórios faz todos os dias.

    “Outro ponto interessante do seu comentário é:
    “Não faz a análise com variação de temperatura… certo! Mas posso contar pelos dedos das mãos, os projectos que vi com mais de 30 metros de desenvolvimento sem junta de dilatação, facto esse que dispensa essa verificação, citando o REBAP.”
    Já reparou que me disse que não existem muitos edifícios com mais de 30m sem junta de dilatação porque se fazem juntas em todos os restantes?…Porque não referiu antes que existem muitos edifícios com mais de 30m em que se fizeram juntas, para evitar calcular a temperatura?…”

    Diga-me… nos dias de hoje, como dono de obra, está pronto para pagar mais do dobro ou triplo por um projecto que seja calculado com a variação de temperatura no SAP ou ROBOT? É óbvio que ninguém quer… e volto a referir que se conta pelos dedos da mão projectos com mais de 30 metros de continuidade… e estou a falar sem juntas de dilatação… ou seja de ponto a ponto.
    No entanto admito, como o fiz atrás, que seria bom poder calcular estruturas no Cypecad com variação de temperatura, e como diz e bem todos os programas tem as suas limitações! Eu também gostava de fazer projectos com a mesma produtividade no Robot ou SAP2000…. mas não consigo… enquanto eu faço 5 edifícios no CYPE, faço 1 no SAP2000 ou Robot… é a vida! ;)

    “A análise de 2ª ordem utilizada pelo Cypecad é a mais simplista que existe e está fortemente condicionada pela escolha que o projectista faz dos coeficientes utilizados para simular esse tipo de análise. A análise de 2ª ordem que normalmente se realiza é a denominada análise P-Delta como o Robot, SAP, Tricalc e STRAP fazem.”

    Chega para simular a perda de inérca das peças!

    “Mais um exemplo da confusão entre o que o programa Cypecad faz e o que deveria fazer é a denominada integração do Metal 3D com o Cypecad. Integração só existe uma, é o modelo estar todo modelado numa única matriz de rigidez em que o cálculo é realizado tendo em conta a interacção de todos os elementos tal como fazem, uma vez mais, Robot, Sap, Tricalc e Strap e outros.”

    Exactamente como o Cype faz! Faça uma obra… calcule… veja os deslocamentos e os esforços das peças e DEPOIS tire conclusões.

    “Falemos claro (e aqui o goba poderá esclarecer-nos relativamente a estas dúvidas): quando se introduzem as acções sísmicas sobre a estrutura em Cypecad a estrutura de aço do Metal 3D é considerada? Ou será que quando se introduzem as acções sísmicas sobre a estrutura metálica a estrutura de betão é considerada? As acções da estrutura metálica estão presentes para solicitar a estrutura de betão quando se calcula esta (para cada combinação de acções de forma individual)? E essas acções são introduzidas já com a estrutura de betão deformada ou por deformar? E essas acções que vêm da estrutura metálica já tiveram em consideração a deformada da estrutura de betão? E poderia levantar mais uma série de questões que demonstram claramente os problemas inerentes à simplificação que se utiliza. E chamar a essa simplificação de calculo ‘integração total’ é no mínimo ‘tendencioso’ para utilizar uma expressão de goba…”

    Mais uma vez… faça uma obra… calcule e veja os deslocamentos e comportamento da estrutura… e depois comente! Aliás, quando calcula uma obra com estrutura 3D integrada, o programa avisa-o que deverá calcular TODA a estrutura (Betão+Metal) para ter um comportamento global em termos de esforços e deslocamentos. E sim, se a laje de betão se deforma, qualquer estrutura integrada lá apoiada irá sofrer esses deslocamentos… o mesmo para o restante. Caro amigo… a Cype não tem 3 ou 4 anos de existência!
    Repare que é o único a falar de simplificações quando nem se quer experimentou calcular e comprovar por si! A única coisa simplificada aqui é o seu comentário relativamente a este assunto!

    “A história das vigas inclinadas horizontais para retirar a indeformabilidade de lajes em zonas que não existe laje é por demais confusa para sequer comentar. Pensei que vigas inclinadas eram vigas inclinadas e não seriam horizontais, porém… igualmente penso que zonas sem laje deverão ser zonas sem indeformabilidade horizontal de lajes porque não têm lajes… tão simples quanto isto.”

    Então eu volto a explicar… “Vigas inclinadas” foi talvez apenas a nomenclatura usada para descrever vigas que servem também para descrever diagonais de travamento. Essas mesmas vigas não possuem a limitação de se colocarem apenas de um piso a outro. Podem ser colocadas horizontalmente como se de uma viga normal se tratasse, formando assim um PLANO DEFORMÁVEL! A indeformabilidade ou deformabilidade dos planos horizontais pode ser perfeitamente definida no Cypecad… basta usar as vigas correctas para o efeito. Espero que tenha sido mais claro desta vez.

    “E mais uma vez Cypecad deveria olhar para como fazem o Robot, Tricalc, Sap, Strap e outros… simples e com segurança. A consideração desta indeformabilidade em zonas em que não existam lajes pode ser muito perigosa em termos de projecto.”

    Só considera um pano deformável como indeformável quem não entende nada de estruturas nem do programa que está a usar!

    “Enfim segundo goba cypecad faz tudo. Na realidade faz uma espécie de piscina, faz uma espécie de tirantes, faz uma espécie de cálculo integrado entre estruturas metalicas e betão, uma espécie de lajes inclinadas, uma especie de análise de 2ª ordem, etc…”

    Você aqui fez uma espécie de comentário por mim… que tem o valor que tem.

    “Os outros programas também têm limitações, mas há que saber reconhecer as de cada um e valorar o seu peso na qualidade da análise que realizam e aí à claramente diferenças entre eles, que se reflectirão igualmente na qualidade e capacidade do trabalho que desempenhamos.”

    Obviamente… cada um deve escolher o programa que mais vantagens lhe traz… eu experimentei vários durante bastante tempo… mas finalmente fiz a minha decisão… que não terá de ser a da maioria das pessoas, obviamente!

    Bem hajam!

  39. Luis

    @Boss

    Eu compreendo que vá para as piscinas, reservatórios, só falta falar nas pontes e barragens e aí concordo consigo, pego no ferrari ou no lamborguini (SAP e ROBOT), mas para o dia a dia prefiro a Pick up todo o terreno, dá para ir às obras correntes.

  40. Carlos Faggion

    Estimado Hélio Pinto, o CypeCad como todos os demais softwares é apenas uma ferramenta de trabalho, e mesmo assim não é para apertadores de botões.

  41. Claudinor

    eu gostaria de saber como instalar passo a passo o cype 2010.c, pois quando abre a janela do cype 2010 (Brasil) e eu clico no link cypecad, ele abre outra janela de erro pedindo para verificar se o hardlock está conectado a pastas paralelas, eu não sei o que fazer depois.
    espero resposta, obrigado!

  42. felipe

    eu gostaria de saber como instalar passo a passo o cype 2010.c, pois quando abre a janela do cype 2010 (Brasil) e eu clico no link cypecad, ele abre outra janela de erro pedindo para verificar se o hardlock está conectado a pastas paralelas, eu não sei o que fazer depois.
    espero resposta, obrigado! [2]

  43. theodore

    eu gostaria de saber como instalar passo a passo o cype 2010.c, pois quando abre a janela do cype 2010 (Brasil) e eu clico no link cypecad, ele abre outra janela de erro pedindo para verificar se o hardlock está conectado a pastas paralelas, eu não sei o que fazer depois.
    espero resposta, obrigado! [2]

    se alguem pude ajudar?.. já que é fácil, rsrs (para quem sabe) não para mim, que ainda sou leigo em instalação de softwares, mais vou tentando aprender.
    Obrigado por aqueles que puderem me orientar.

  44. José Djalma Madeira

    Troquei meu computador por um que já vem com windows seven, e criei o maior problema, há uma incompatibilidade com o CYPECAD 2005 e não consigo instalar. Gostaria de saber como resolver este problema.

    Obrigado.

  45. joaquim

    Instalei a versão temporaria do cype e quando fui para abrir pediu-me um codigo de acesso? eu n tenho nenhum meti testar cype mas agora só tenho 9 dias…alguém sabe explicar-me onde encontro o codigo de acesso?

  46. Luis

    Comprem o programa depois já não terão esse tipo de problema, não usem software pirata.

  47. Pedro

    “PS. Tendo Linux também é possível usar o ROBOT ou SAP”

    Então tente instalar um destes programas numa distro de linux através do wine ou de uma virtualbox para ver o resultado. Talvez o consiga através da virtualbox, mas não aconselho, já para não falar na lentidão de processamento da máquina…

    Concordo com os comentários que se deve usar software de acordo com as necessidades, mas estou ciente que existem bons e maus projectistas, como em todas as profissões.

    Bom trabalho a todos!!

  48. Laís

    Fiz o download do Cype 2011, instalei mas quando tento roda como teste ele dá erro, não tenho código de acesso nenhum, só quero testar ele. Alguém pode me ajudar?!

  49. sandroP

    Afinal o tema das paredes e lajes das piscinas não serem calculadas correctamente em Cype realmente existia, pois finalmente na versão 2012 é lançada a correcção http://2012.novedades.cype.es/2012_cypecad.htm#suposicion_diafragma

    A minha interpretação desta novidade é se isto significa que agora os topos das paredes resistentes em consola (desde que estejam fora das lajes) passam a ser calculados como elementos livres da consideração de diafragama indeformável ou seja as paredes já são consideradas como livres no topo???.

    Se a novidade siginifica o que acabo de descrever é uma pena pois ainda é uma meia solução, pois as lajes continuam a não permitir considerar os esforços axiais (por exemplo resultantes das pressões hidroestáticas), consequentemente se a piscina tiver algum topo unido a uma laje, já não é possível tomar esta consideração e voltamos às limitações de antigamente, continuando fora de questão o estudo de depósitos.

    E todas as estruturas mal calculadas no passado, quando esta funcionalidade não existia?
    Espero que esta seja uma ‘não questão’ pois os técnicos por certo devem ter tido em conta esta limitação do Cype nos dimensionamentos que fizeram

  50. Pedro Nuno

    Qual o programa que recomendam para dimensionamento de estruturas em chapa fina (essencialmente madres galvanizadas)? (de preferência que também consiga calcular estacas)

    Andei a ver vários e não consigo chegar a nenhuma conclusão!! Os comerciais com que falei dizem-me todos que os programas fazem tudo, e ao fim e ao cabo, em minha opinião são bastante limitados.

  51. Muraad

    Boa noite pessoal… o prog, nao calcula as ligacoes da minha estrutura…ja defini tds os tipos de ligacao dos nos.o k faxo????

  52. Rodenei Benedito Rosa

    Boa noite

    Eu Tenho o software V6 e preciso de alguém que interesse em me ensinar a trabalhar com esse danado,caso saiba favor me indicar,para combinar preço etc. Moro em Jacareí/SP
    Obrigado pela atenção

Comentar

* Obrigatório