Curso de Engenharia Civil continua a recuperar com FEUP e Técnico na liderança

12 Setembro, 2016.

Curso de Engenharia Civil continua a recuperar com FEUP e Técnico na liderança

Foram hoje conhecidos os resultados da Primeira Fase de Candidatura ao Ensino Superior 2016 com números, em geral, animadores para os cursos de Engenharia Civil em Portugal. No total do ensino universitário e politécnico, o curso de engenharia civil subiu cerca de 17% no número de colocados em relação a 2015.

Apesar de não tão acentuada como no ano passado, a tendência crescente mantem-se, possivelmente em resultado da lenta recuperação do setor da construção e do aumento progressivo de vagas de emprego em engenharia civil.

A Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) afirma-se cada vez mais como a preferida dos candidatos ao curso de engenharia civil, sendo a única a nível nacional com uma taxa de ocupação de 100%, com todas as 130 vagas disponíveis preenchidas.

Também o Departamento de Engenharia Civil, Arquitetura e Georrecursos do Instituto Superior Técnico (IST) mantém os excelentes resultados, com 125 vagas preenchidas das 140 colocadas a concurso.

A grande supresa, pela positiva, da Primeira Fase de Candidatura ao Ensino Superior 2016 foi a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, que obteve a segunda maior taxa de ocupação nacional (95%).
A Escola de Engenharia da Universidade do Minho mais do que duplicou o número de colocados, confirmando a tendência crescente que se mantém desde o ano letivo de 2014/2015.

No ensino universitário os piores resultados cabem à Universidade da Beira Interior e à Escola de Ciências e Tecnologia da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro que não tiveram qualquer colocação.

Também do lado negativo aparece mais uma vez a gigante académica FCTUC, que prossegue na sua queda incontrolável e inexplicável. Aquele que foi classificado no passado como um dos melhores Departamentos de Engenharia Civil da Europa e que tem inquestionavelmente a melhor área de estruturas a nível nacional, teve este ano apenas 8 estudantes colocados das 60 vagas iniciais apresentadas.

O ensino politécnico teve um notável crescimento de 65% no número de colocados, relativamente ao ano passado.
São de destacar o Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP) com um crescimento muito significativo na quantidade de vagas ocupadas e a Escola Superior de Tecnologia do Barreiro que apesar de apenas ter acrescentado um aluno às suas fileiras, obteve a melhor nota de candidatura do último colocado pelo contingente geral.


Nota da redação: Este é um artigo de opinião, além de informativo também expressa os pontos de vista pessoais do autor, que poderão ter um caráter subjetivo.

Fonte: Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) | Imagens: EngenhariaCivil.com




Outros artigos interessantes:




Comentar

* Obrigatório