Indicadores de Estado de Conservação dos Pavimentos

12 Maio, 2009.

O InIR (Instituto de Infra-Estruturas Rodoviárias,I.P.) disponibilizou, para recolha de  comentários de carácter técnico, um conjunto de disposições normativas nas suas versões base, relativas a pavimentação rodoviária com o objectivo de orientar tecnicamente o sector rodoviário. Esta Disposição Técnica tem como objectivo a elaboração de metodologias de medida das características superficiais e estruturais dos pavimentos, o estabelecimento de métodos uniformes de medida, a análise de dados e modelos de comportamento permitindo uma observação eficaz do nível de serviço de cada rede de estradas, no que respeita aos pavimentos.

Acerca do InIR
O Instituto de Infra-Estruturas Rodoviárias,I.P. é um instituto público integrado na administração indirecta do Estado, dotado de autonomia administrativa. O InIR prossegue atribuições do Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, sob superintendência e tutela do respectivo ministro.
O InIR, I.P. tem como principal missão fiscalizar e supervisionar a gestão e exploração da rede rodoviária, controlando o cumprimento das leis e regulamentos e dos contratos de concessão e subconcessão, de modo a assegurar a realização do Plano Rodoviário Nacional e a garantir a  eficiência, equidade, qualidade e a segurança das infra-estruturas, bem como os direitos dos utentes.
(www.inir.pt)




Outros artigos interessantes:




6 Comentários a Indicadores de Estado de Conservação dos Pavimentos

  1. Luis Santos

    Parabéns. Excelente colecção de normas de pavimentação rodoviária.

  2. Ramires

    Muito bom, não conhecia.
    Parece-me uma boa referência para projectistas de pavimentos.

  3. Joaquim

    Pelo que percebi ainda são versões base. Para quando os documentos definitivos?

  4. Paulo Pereira

    Em princípio, a meados de Junho já teremos as versões finais dos documentos normativos

  5. Manuel Pinto Santiago (Engenheiro Civil)

    Só para avaliação, mais tarde virão os documentos finais. Agora o que eu duvido é que sejam grátis. Hoje em dia faz-se negócio com tudo.
    Parabéns à engenhariacivil.com pela iniciativa da publicação!

  6. Samuel Osório

    Algumas das indicações parecem-me um pouco desajustadas, não me parece que venham a ser adoptadas assim com tanta facilidade

Comentar

* Obrigatório