Sistemas de deteção avançados tornarão as estradas europeias mais seguras

9 Abril, 2018.

Sistemas de deteção avançados tornarão as estradas europeias mais seguras

O projeto MFDS (“Multi-Functional Detection System“), integrado na iniciativa de transportes integrados, ambientais e inteligentes da Comissão Europeia, visa o desenvolvimento de sistemas de transporte avançados que permitam tornar as estradas europeias mais seguras e eficientes.

O sistema standard MFDS permite a deteção e classificação de objetos com elevada precisão, através da utilização de postes delineadores que distribuem ondas seguras de rádio ao longo dos trajetos.
Os postes podem ser, por exemplo, colocados nas entradas e saídas de autoestradas para o acompanhamento das características dos veículos em circulação, em tempo real. Permitem igualmente, além da categorização dos veículos, a deteção da direção, dimensões e velocidade dos veículos, graças a sensores de elevada precisão, especialmente desenvolvidos para a classificação de tráfego.

Os dados recolhidos pelo equipamento integrante do sistema MFDS podem ser visualizados centralmente através de um portal Web e redistribuídos, de forma segura através de diferentes interfaces e de plataformas Cloud, tanto para os condutores como para as autoridades competentes.

Os sensores podem ser igualmente incorporados na infraestrutura existente, nomeadamente, em postes, maciços e pórticos ao longo das autoestradas, tornando a sua instalação mais barata e eficiente.

Os diferentes elementos do sistema estão a ser avaliados pelas autoridades viárias alemãs, tendo os primeiros testes com o MFDS sido realizados em parques de estacionamento. As fases seguintes de testes incluirão as funcionalidades de classificação de veículos e deteção de movimentos de circulação em contramão.
Para que o sistema seja integrado no mercado terá igualmente de ser sujeito a ensaios de fiabilidade e durabilidade, bem com de resiliência em diferentes condições climatéricas.

O projeto europeu MFDS trará assim benefícios para os utentes das estradas e para as entidades gestoras de infraestruturas viárias, nomeadamente no que diz respeito ao aumento da segurança na circulação em autoestradas e parques de estacionamento e redução dos congestionamentos.

Fonte: EngenhariaCivil.com; Comissão Europeia/CORDIS | Imagens (adaptadas): EngenhariaCivil.com; via MFDS




Outros artigos interessantes:




Comentar

* Obrigatório