Técnicas de Reforço Estrutural Sísmico de Construções de Adobe

18 Junho, 2013.

Técnicas de Reforço Estrutural Sísmico de Construções de Adobe

O Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Aveiro tem apostado, desde há cerca de dez anos, num programa de investigação que incide no estudo das edificações de adobe, em particular na área do reforço estrutural sísmico, com o objetivo não só de minimizar os impactos resultantes de um abalo sísmico mas também de perceber a melhor forma de recuperar e reforçar.

Apesar de ser um material que deixou praticamente de ser utilizado em Portugal, desde o advento e massificação do betão armado, o adobe continua a existir em inúmeros edifícios do século dezanove e do princípio do século vinte, um pouco por todo o país. Além disso, segundo o Eng.º Humberto Varum, especialista na área de reabilitação, da Universidade de Aveiro, cerca de um terço da população mundial vive em habitações feitas de terra, daí a importância fundamental do estudo da possibilidade de aplicação das técnicas de reforço estrutural modernas aos edifícios de adobe.

Os ensaios de simulação sísmica realizados no Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Aveiro, permitiram obter dados essenciais sobre o comportamento dinâmico/estrutural dos edifícios de adobe, incluindo a evolução dos deslocamentos da estrutura e fissuração, o que foi determinante na calibração de modelos numéricos capazes de simular virtualmente o comportamento num cenário sísmico de qualquer edifício real construído em adobe.

A pesquisa efetuada pela Universidade de Aveiro possibilitou o estabelecimento de um conjunto de técnicas de reforço estrutural que permitem dotar os edifícios de adobe de níveis de segurança sísmica mais elevados. Neste âmbito verificou-se que é essencial a melhoria das propriedades das paredes e da forma como interagem no conjunto. Uma forma de melhorar o comportamento do conjunto dos elementos que compõem a estrutura, passa por embeber na argamassa de reboco uma malha de reforço para dar ao material uma boa resistência em tração e corte.

A Universidade de Aveiro e a Pontifícia Universidade Católica do Peru são atualmente as únicas duas universidades no mundo com programas de investigação de longo prazo com o objetivo de estudar a relação sismos/construções de adobe.

Imagem: Cortesia de Pedro Farias, Gabinete de Comunicação da Universidade de Aveiro
Fonte: Universidade de Aveiro




Outros artigos interessantes:




4 Comentários a Técnicas de Reforço Estrutural Sísmico de Construções de Adobe

  1. Projeto da Estação Ferroviária de Flinders Street | EngenhariaCivil.com

    […] para a remodelação da antiga estação central de Melbourne, que data de 1854. Inclui além da reabilitação do edifício original, a expansão das plataformas ferroviárias e a construção de uma galeria de arte, […]

  2. Vila Nova de Cerveira Recebe Congresso de Construção em Terra | EngenhariaCivil.com

    […] Conferência Internacional Sobre Património Vernáculo e Arquitetura de Terra (CIAV 2013), a sétima edição do Seminário de Arquitetura de Terra em Portugal (7ºATP) e a […]

  3. Simpósio Internacional de Otimização em Engenharia Sísmica e de Estruturas | EngenhariaCivil.com

    […] em Kos, na Grécia, o simpósio internacional Novas Abordagens e Aplicações na Otimização em Engenharia Sísmica e de Estruturas. O evento abordará, entre outros temas, a otimização estrutural, os sistemas de […]

  4. Franceses Desenvolvem Inovadora Barreira de Proteção Sísmica de Estruturas de Engenharia Civil | EngenhariaCivil.com

    […] Um grupo de investigadores franceses da Universidade Aix-Marseille (AMU), em colaboração com a consultora de engenharia Menard Vibro, desenvolveu um método geotécnico de alteração do solo natural que poderá contribuir para a redução da ação destrutiva dos sismos em estruturas de Engenharia Civil. De acordo com um artigo publicado na Physical Review Letters, a tecnologia consiste na execução de uma malha de furos cilíndricos, com distribuição e geometria específicas, que formam uma espécie de barreira, impedindo a ampliação de ondas sísmicas. […]

Comentar

* Obrigatório