Universidades Britânicas Estão a Tentar Criar um Betão Eterno

15 Abril, 2015.

Universidades Britânicas Estão a Tentar Criar um Betão Eterno

Os Departamentos de Engenharia Civil das Universidades britânicas de Cambridge, Cardiff e Bath uniram-se para criar um novo tipo de betão que permita a construção de estruturas eternas. Este betão inteligente combina diversas tecnologias de autorreparação e promete um aumento exponencial da durabilidade relativamente ao betão convencional com cimento Portland.

O estudo, que arrancou em 2013, contará com os primeiros ensaios fora de laboratório a partir de Junho deste ano. O novo betão será testado em situações reais, incluindo elementos estruturais e não estruturais. Além disso serão também ensaiadas outro tipo de argamassas de base cimentícia que utilizam as novas tecnologias.

A estratégia delineada conduziu à atribuição de diferentes linhas de investigação a cada universidade, mantendo o objetivo comum de garantir a compatibilidade entre as novas tecnologias e permitir o seu uso num material de construção único.

A equipa de engenheiros de Cambridge focou-se nos danos em estruturas de betão à escala microscópica, desenvolvendo microcápsulas que contêm no seu interior um agente mineral reparador. Sob determinadas condições físicas e químicas as cápsulas rompem e a substância contida no seu interior é libertada, permitindo a reparação localizada da zona danificada.
Embora a tecnologia de microcápsulas já exista há alguns anos, sendo correntemente usada nas indústrias farmacêutica e alimentar e em produtos de limpeza, aquela não era aplicável a materiais cimentícios.
As cápsulas agora fabricadas pela Universidade de Cambridge têm paredes externas suficientemente fortes para permitir a mistura da argamassa numa betoneira corrente sem o risco de rotura prematura.

O trabalho desenvolvido pela equipa de Bath consiste no uso de bactérias capazes de promover a precipitação de calcita no seio dos elementos de betão, permitindo o refechamento de fissuras e outras degradações. Estas bactérias funcionam como pequenas fábricas minerais, alimentando-se de nutrientes que podem ser adicionados ao betão.

A tecnologia em estudo pelos investigadores da Universidade de Cardiff funciona a uma escala macroscópica. Consiste no uso de tendões plásticos, mais conhecidos como Polímeros com Memória de Forma (SMP) que respondem às variações de temperatura, sendo capazes de assumir diferentes configurações e voltar, quando necessário, à sua forma inicial.
Estes tendões de SMP permitem fechar ou conter fissuras de grandes dimensões, através do aquecimento do elemento estrutural.

Coletivamente as universidades estão a desenvolver uma quarta tecnologia, que pode ser usada em estruturas sujeitas a esforços elevados e com grandes probabilidades de degradação prematura. Consiste na utilização de micro-tubos organizados numa configuração vascular, mimetizando o sistema circulatório dos animais, que permitem o reabastecimento contínuo de agentes reparadores aos elementos estruturais.

Fonte: Universidade de Cambridge; Universidade de Cardiff; Universidade de Bath via Phys | Imagem (adaptada): Tanvir Qureshi




Outros artigos interessantes:

Investigadores Sul-Coreanos Desenvolvem um Tipo de Aço Leve Mais Dúctil e Resistente
Tricalc Andaimes: Arktec e Metalusa Desenvolvem Software para Projeto de Andaimes
A3C 2.34: Software de verificação estrutural de pilares mistos de aço e betão
ABC 3.21: Software de dimensionamento de vigas
CoP2 AME 1.7.2: Dimensionamento de ligações metálicas pelo Eurocódigo 3
Projeto e construção de estruturas de Engenharia Civil com materiais recuperados

         
         


Tópicos Relacionados

         -  Cálculo estrutural de pontilhão
         -  Viga apoiada em outra viga
         -  Tramo de vigas
         -  Sapatas/Fundações no Robot Estrutural
         -  Duvida em fixaçao de longarinas - ponte rural
         -  Reações de apoio para treliça
         -  Contrapiso ou "Prontilaje"
         -  Hachuras Eberick
         -  Duvida no dimensionamento de rampa para lavagem de carros
         -  Elementos de fachada (estruturais ou não-estruturais)
          

Artigos Relacionados

         -  Descobrindo os segredos da incrível resistência e durabilidade do ...
         -  Engenheiros Civis norte-americanos desenvolvem nova técnica de inspeção estrutural ...
         -  Gigantesco “Mamute” holandês usado no transporte e instalação de ...
         -  Chineses desenvolvem sensores estruturais que podem ser aplicados em spray
         -  Engenheiros Civis suíços integram serradura em betão
         -  Reforço sísmico de edifícios de alvenaria recorrendo a ...
         -  Ftool 4.00
         -  Engenheiros Civis russos aumentam em 200% a capacidade de carga de estruturas ...
         -  Projeto e construção de estruturas de Engenharia Civil com materiais ...
         -  Um sistema inovador de deteção automática de fissuras em ...

Vídeos Relacionados

         -  Operação da plataforma MBI 200 na inspeção da estrutura de ...
         -  Gigantesca estrutura metálica em arco de Chernobyl
         -  Aumento da resistência do metal através de deformações ...
         -  Selante ecológico para betão desenvolvido na Universidade de Purdue
         -  Grua montada a 2975 metros de altitude na Alemanha
         -  Construção da ponte metálica em arco de Alconétar
         -  Reconstrução de ponte metálica em Bratislava
         -  Tuned mass damper do edifício Taipei 101 bate recorde mundial
         -  Ponte metálica expansível criada no Japão
         -  Construção do Pilar Central da Ponte de Rzeszowie sobre o ...

3 Comentários a Universidades Britânicas Estão a Tentar Criar um Betão Eterno

  1. Pedro Sacramento

    todas as estruturas tem uma vida útil pelo que quando por qualquer motivo a vida útil de uma estrutura feita por este material chegar ao fim o que fazer deste betão ?

  2. Marta Lopes

    Pedro, julgo que o material pode ser reciclado/reutilizado tal como o betão “normal”.

  3. Candidaturas ao Prémio Secil de Engenharia Civil Terminam no Final deste Mês | EngenhariaCivil.com

    […] O período de candidaturas à edição deste ano do Prémio Secil Engenharia Civil aproxima-se do final, terminando no próximo dia 30 de Abril. Promovido pela empresa cimenteira Secil, é um dos mais destacados concursos nacionais na área de Engenharia Civil, visando distinguir projetistas portugueses envolvidos em obras de excelência com manifesto caráter inovador e nas quais se tenha recorrido à incorporação de cimento, em particular à utilização de betão estrutural. […]

Comentar

* Obrigatório