Viabilidade da construção de pontes rodoviárias de Glulam em estradas de baixo tráfego

16 Fevereiro, 2018.

Viabilidade da construção de pontes rodoviárias de Glulam em estradas de baixo tráfego

Engenheiros do Laboratório de Estruturas J. Lohr da Universidade Estatal do Dakota do Sul estão a estudar a viabilidade da utilização de madeira laminada colada, vulgarmente conhecida por “Glulam” na construção de pontes rodoviárias em estradas de baixo tráfego.

O objetivo do estudo foi encontrar alternativas viáveis, mais sustentáveis e ecológicas, às tradicionais pontes de betão pré-fabricado. Nesse âmbito, o Glulam apresentou-se logo à partida como um candidato ideal, devido à forma como é fabricado, que permite a redução artificial da variabilidade de comportamento inerente à madeira maciça.
Além disso, a possibilidade de utilização de material de maior qualidade em trechos onde a solicitação é maior, com esforços internos de maior magnitude, permite a otimização do comportamento dos elementos estruturais. Desta forma o fabrico dos elementos de Glulam pode ser adaptado cirurgicamente aos objetivos de performance da estrutura a construir.

Os custos iniciais de pontes de Glulam são também 25 a 50% inferiores aos inerentes à construção de pontes convencionais de betão armado.
Pontes rodoviárias de Glulam de pequenas dimensões podem também ser instaladas em menos de 24 horas, sem ser necessário recorrer a equipamento específico ou técnicos especializados.
Além disso o Glulam é suscetível de ser tratado com substâncias seguras do ponto de vista ambiental.

Ensaios conduzidos com pontes de teste construídas exclusivamente com recurso a Glulam mostraram um desempenho satisfatório e danos mínimos quando sujeitas a um carregamento cíclico equivalente a 75 anos de serviço. Os resultados obtidos ficaram situados dentro dos limites aceitáveis das especificações da Associação Americana de Oficiais de Transportes e Estradas Estatais (AASHTO), para este tipo de estrutura.

O projeto foi promovido pelo Departamento Norte-americano de Transportes, através do Consórcio Mountain Plains e do Departamento de Transportes do Dakota do Sul, tendo as pontes de teste sido construídas com madeira doada pela empresa especializada em laminados de madeira, Gruen-Wald Engineered Laminates.

Fonte: EngenhariaCivil.com; Universidade Estatal do Dakota do Sul | Imagens (adaptadas/ilustrativas): EngenhariaCivil.com; via Universidade Estatal do Dakota do Sul; Schaffitzel + Miebach




Outros artigos interessantes:




Comentar

* Obrigatório