Alemanha utiliza redes de telemóveis para estudar o tráfego e avaliar a mobilidade urbana

29 Agosto, 2016.

Alemanha utiliza redes de telemóveis para estudar o tráfego e avaliar a mobilidade urbana

O Instituto Fraunhofer de Engenharia e Organização Industrial (IAO) e a empresa Telefónica Alemanha estão a estudar novas formas como as redes de comunicações móveis podem contribuir para o o planeamento de tráfego urbano e combate aos engarrafamentos rodoviários nas cidades.

O estudo tem como como principal objetivo a otimização do planeamento de transportes através do acesso a dados precisos de tráfego que reflitam as variações pseudoaleatórias presentes em situações reais.

Neste âmbito, as redes móveis de comunicações podem ser um aliado inestimável, ao permitirem a recolha de informações, em tempo real e com extrema fiabilidade, sobre a mobilidade em ambiente urbano.

O projeto de investigação tem a duração de três meses e meio e permitirá perceber se as tecnologias de comunicação móveis atuais apresentam robustez suficiente para servirem de fonte de dados de mobilidade que permitam a medição dos fluxos de tráfego nas cidades. Possibilitará igualmente a comparação da qualidade dessa informação com a obtida através dos métodos de recolha de dados de mobilidade atualmente em utilização.

A projeto piloto de aplicação do novo sistema arrancará em breve na cidade de Estugarda, onde têm sido, nos últimos anos promovidas campanhas regulares de recolha de dados de mobilidade, o que torna esta metrópole alemã o local ideal para a introdução de novos métodos de recolha e análise de dados.

Um dos desafios importantes do projeto é a manutenção da anonimidade dos dados recolhidos associada à criação de perfis de mobilidade que não possam ser diretamente correlacionados com um equipamento móvel específico. Igualmente determinante é a integração perfeita do sistema no funcionamento interno da rede, sem que haja interferências no normal funcionamento dos equipamentos dos utilizadores da mesma.

Fonte: Fraunhofer IAO | Imagens (adaptadas): via Fraunhofer IAO / Telefónica Alemanha




Outros artigos interessantes:




Comentar

* Obrigatório