Revelado mistério da sobrevivência da Torre de Pisa aos sismos em Itália

16 Maio, 2018.

Revelado mistério da sobrevivência da Torre de Pisa aos sismos em Itália

Uma equipa de investigadores de diversas universidades e institutos europeus tenta desvendar os segredos por detrás da sobrevivência, desde a Idade Média, da aparentemente instável Torre de Pisa, em Itália, aos fortes sismos que sempre assolaram a região.

Apesar da sua posição precária, com uma inclinação de 5 graus e um deslocamento de 5 metros no topo da estrutura de 58 metros de altura, a Torre de Pisa resistiu a pelo menos quatro grandes sismos desde 1280.
Dada a posição vulnerável da estrutura, seria espectável que a mesma sofresse danos consideráveis ou até mesmo o colapso até com sismos de pequena intensidade.

Contando com especialistas em engenharia sísmica do Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Bristol e da Universidade Roma Tre, a equipa explorou a forma como se processa a interação solo-estrutura nas fundações da Torre.

A análise de um conjunto massivo de dados sismológicos, geotécnicos e estruturais relativo à estrutura em si e à zona envolvente, permitiu concluir que a resistência da Torre se deve sobretudo às características singulares da interação dinâmica solo-estrutura.

A altura e rigidez da estrutura centenária, combinados com os solos moles da fundação, promovem uma modificação muito substancial das características vibracionais. Isto origina que a Torre não ressoe com o movimento do solo durante a ocorrência de um sismo.

Ironicamente, o mesmo solo que originalmente causou o assentamento diferencial das fundações serve também de escudo da estrutura contra os efeitos nefastos dos sismos.

Fonte: EngenhariaCivil.com; Universidade de Bristol | Imagens (adaptadas/ilustrativas): EngenhariaCivil.com; via Palo Cech




Outros artigos interessantes:




Comentar

* Obrigatório