Inovador software de planeamento é capaz de prever riscos estruturais em zonas urbanas

13 Dezembro, 2016.

Inovador software de planeamento é capaz de prever riscos estruturais em zonas urbanas

Chama-se VITRUV e é um software destinado ao planeamento urbano, que integra características inovadoras de análise e previsão dos riscos estruturais. Desenvolvido pelo Instituto Fraunhofer de Dinâmica de Alta-Velocidade, localizado em Freiburgo, Alemanha, permite integrar os aspetos de segurança estrutural no processo de planeamento das cidades.

A aplicação possibilita a análise dos aspetos de segurança, durante a fase de planeamento, de uma área urbana completa, de forma a que os principais pontos fracos sejam identificados.
O auxílio do software aos urbanistas decorre nas três fases do seu trabalho. Na fase de conceptualização, a aplicação fornece uma rápida avaliação dos principais aspetos de segurança, realizando uma análise empírica de risco. Na fase de planeamento, a ferramenta informática apresenta as principais vulnerabilidades e assinala as áreas críticas de risco elevado.
Finalmente, na fase de dimensionamento, o software permite o desenvolvimento de soluções concretas para a minimização dos riscos.

A aplicação permite que os planeadores urbanos poderão possam otimizar os seus projetos de uma forma iterativa, de forma a obterem uma solução o mais otimizada possível.

Para permitir uma avaliação fiável dos riscos em determinadas áreas, o software recorre a uma extensa base de dados históricos, sendo as frequências estatísticas analisadas de acordo com o tipo de ameaça, as características da infraestrutura em risco, a região e a exposição.

O VITRUV analisa tanto a estrutura urbana como um todo, como edifícios individuais, fornecendo pistas sobre as possíveis consequências que determinado tipo de danos teria sobre as pessoas, edifícios e infraestrutura.
O software calcula possíveis danos, com base numa análise quantitativa de risco, considerando cenários de sismos, explosões ou ataques terroristas

Fonte: Instituto Fraunhofer | Imagens (adaptadas): via Instituto Fraunhofer




Outros artigos interessantes:




Comentar

* Obrigatório