Inteligência artificial vai controlar tráfego aeroportuário no Reino Unido

13 Julho, 2016.

Inteligência artificial vai controlar tráfego aeroportuário no Reino Unido

Com muitos dos grandes aeroportos internacionais no Reino Unido a operar no limite da sua capacidade, o país está a recorrer a sistemas avançados de controlo, que incorporam tecnologias de inteligência artificial, para a otimização do tráfego.

Um desses sistemas é o TRANSIT, que visa reduzir os tempos de viagem de aeronaves e passageiros, garantindo uma maior eficiência, redução de custos operacionais e menores emissões de gases poluentes.

O sistema será uma das ferramentas mais importantes no combate à sobrelotação das infraestruturas aeroportuárias britânicas, cuja causa principal se encontra na ineficiência do movimento das aeronaves e operações de parqueamento.

Juntamente com a expansão e modernização física de alguns aeroportos, o TRANSIT permitirá fazer frente ao enorme aumento previsto de tráfego, de 50%, até 2035.

O sistema permitirá acompanhar com elevada precisão os movimentos dos diferentes componentes das infraestruturas aeroportuárias, tomando decisões com base nas características e desempenho de cada um deles (incluindo a performance dos motores, o comportamento aerodinâmico ou a probabilidade de falhas mecânicas) e fatores externos como a incerteza associada ao tráfego aéreo.
Fornecerá os trajetos mais eficientes para deslocação de aviões nas pistas e zonas de parqueamento, que produzam menos ruído e resultem em menores gastos combustível, tendo em conta as normas de segurança internacionais.

O TRANSIT pretende também servir de base ao desenvolvimento de ecossistemas aeroportuários autónomos, que incorporam funcionalidades de trânsito automático de aviões, sem intervenção humana.

O projeto é cofinanciado, em 1 milhão de libras, pelo Conselho de Investigação em Engenharia e Ciências Físicas (EPSRC) e liderado pela Universidade de Lincoln.
Com uma duração de três anos, conta com o apoio e participação da Universidade de Sheffield, Universidade de Stirling, Universidade de Cranfield, KLM, BAE Systems, Aeroporto de Manchester, Aeroporto de Zurique, Rolls Royce e Simio.

Fonte: Universidade de Lincoln | Imagens (adaptada/ilustrativa): via Charles 103




Outros artigos interessantes:




Comentar

* Obrigatório