MIT cria robot capaz de inspecionar condutas de redes de distribuição de água pelo interior

7 Agosto, 2017.

MIT cria robot capaz de inspecionar condutas de redes de distribuição de água pelo interior

Uma equipa de investigadores do Laboratório de Pesquisa em Mecatrónica (MRL) do Instituto de Tecnologia de Massachusetts criou um sistema robotizado dirigido à inspeção de sistemas de distribuição de água.

O robot possui um corpo esguio e flexível, o que potencia uma fácil locomoção pelo interior das tubagens de sistemas de distribuição urbana de água, permitindo a deteção e mapeamento de fugas e degradações no interior das condutas.

O sistema é formado por três componentes principais que se articulam entre si para permitir o descolamento e deteção de fugas.
O primeiro desses componentes é uma membrana de sensorização flexível utilizada para medir alterações na força de sucção, características da existência de orifícios ou fissuras nas paredes das condutas. Este componente permite igualmente evitar falsos alarmes, fazendo a distinção entre vulgares obstáculos e rugosidades no intradorso das condutas e fugas, de acordo com os padrões de variação da força de sucção.

O segundo componente é um suporte flexível que permite que o robot se adapte às variações de diâmetro e de geometria das tubagens, à medida que vai progredindo através dos ramais dos sistemas de distribuição de água. Este componente é também, juntamente com a membrana de sensorização flexível, utilizado para detetar rugosidades e obstáculos no interior das tubagens, contribuindo para a minimização de falsos alarmes na tarefa de deteção de fugas.

O terceiro e último componente é o invólucro frontal fabricado em borracha flexível, onde se encontram os circuitos integrados que constituem o “cérebro” do robot, os dispositivos de armazenamento de informação, que permitem guardar os dados relativos aos trabalhos de inspeção e as baterias, que alimentam os sistemas eletrónicos e mecânicos do robot.

Para a deteção de fugas num determinado troço do sistema de distribuição, o robot é introduzido numa extremidade do troço, deslocando-se no sentido do fluxo da água e recolhido, utilizando uma rede, na extremidade oposta.
À medida que vai progredindo através da conduta, o robot efetua um mapeamento detalhado das características geométricas internas das tubagens e da possível localização de fugas.
Este mapa permite às equipas de manutenção circunscreverem as zonas a serem escavadas com o objetivo de reparar ou substituir trechos de tubagens.

 

Fonte: EngenhariaCivil.com; MIT | Imagens (adaptadas): EngenhariaCivil.com; via MIT




Outros artigos interessantes:




Comentar

* Obrigatório