Operação de uma plataforma de inspeção estrutural de pontes

Operação de uma plataforma de inspeção de pontes

Um pequeno vídeo da utilização de uma plataforma móvel, auto montável e autoexpansível de inspeção de pontes. O equipamento, pertencente à VicRoads, a autoridade de estradas e tráfego do Estado de Victoria, é o maior do seu género existente na Austrália e um dos mais avançados do mundo.

(ver vídeo em fullscreen)

A plataforma de inspeção, de modelo MBI 200, é fabricada pela empresa alemão MOOG podendo ser acoplada ao chassi de um camião, como é o caso do equipamento do vídeo ou à estrutura de um reboque.
Possui um peso de 30 toneladas, carga máxima de 800 kg na plataforma, um alcance máximo horizontal de 20 metros e distância de abaixamento de 8.7 metros.
É dotada também de um sistema de estabilização automática, que controla o sistema de pressurização do veículo possibilitando o rebaixamento dos eixos, de forma a que estes entrem em contacto com a superfície do pavimento rodoviário.

Devido às suas dimensões relativamente reduzidas (12 metros de comprimento x 4.0 metros de altura x 2.5 metros de largura ), em resultado do funcionamento retrátil, pode ser utilizado em tabuleiros com pouco espaço disponível. No entanto de acordo com a VicRoads, por uma questão de segurança, a norma é o encerramento de duas das vias do tabuleiro durante campanhas de inspeção.

O facto de ter uma capacidade de rotação de 180 graus possibilita igualmente que o equipamento possa ser utilizado em pontes suspensas ou até mesmo treliçadas, com pouco espaço disponível para a passagem do braço mecânico.

Fonte: VicRoads | Imagens (adaptadas) e Vídeo: via VicRoads; MOOG




Outros artigos interessantes:




1 Comentário a Operação de uma plataforma de inspeção estrutural de pontes

  1. Tecnologias solares e construção de redes domésticas de energia abordadas em Frankfurt | EngenhariaCivil.com

    […] reunirá engenheiros, consultores, investigadores e fabricantes na discussão do futuro da construção e operação de redes domésticas de […]

Comentar

* Obrigatório