Vida Útil de Pontes de Betão Armado Pode Agora Ser Determinada com Maior Precisão

21 Maio, 2015.

Vida Útil de Pontes de Betão Armado Pode Agora Ser Determinada com Maior Precisão

Investigadores do Instituto de Estruturas de Betão da Universidade do Ruhr – Bochum (RUB), estão a desenvolver modelos matemáticos que permitem, de uma forma muito precisa, prever a vida útil de pontes de betão armado. Estes modelos, ao contrário dos anteriormente existentes que assentavam em valores padrão, têm em conta as condições locais da estrutura, em particular as características das ações ambientais e de tráfego.

Os resultados obtidos em ensaios efetuados com os novos algoritmos, mostraram discrepâncias muito significativas entre os modelos tradicionais e os novos modelos de previsão da vida útil de pontes de betão armado desenvolvidos na RUB.
Por exemplo, os testes conduzidos, durante cerca de dois anos e meio, num viaduto em Düsseldorf, mostraram que utilizando os novos modelos, otimizados para a obra de arte em estudo, se obtinha um valor de vida útil cerca de 14 vezes superior ao obtido com modelos genéricos.
Esta enorme discrepância decorria do facto dos modelos genéricos utilizados não terem em conta as características específicas do tráfego naquele viaduto, em particular a reduzida percentagem de veículos pesados em comparação com os veículos ligeiros (sendo estes últimos considerados irrelevantes para fins de previsão da durabilidade estrutural).

Os algoritmos para previsão da vida útil de pontes de betão armado da RUB têm em conta, entre outros, o volume e características do tráfego, os níveis de congestionamento viário, a agressividade ambiental, os materiais de construção usados, as diferenças de temperatura ao longo da estrutura, a velocidade do vento, as taxas de ocorrência de acidentes e o envelhecimento natural das estruturas. Todos estes fatores têm uma influência determinante na fadiga dos materiais de engenharia.

O objetivo último deste programa de investigação da RUB é a criação de “pontes inteligentes”, através do desenvolvimento de um sistema, baseado nos novos modelos, que permita a monitorização autónoma e em contínuo, das cerca de 120 mil pontes viárias da Alemanha.

Fonte e Imagens (adaptadas): via Ruhr-Universitat Bochum




Outros artigos interessantes:




Comentar

* Obrigatório