Engenheiros Civis britânicos criam blocos de alvenaria capazes de gerar eletricidade

21 Agosto, 2017.

Engenheiros Civis britânicos criam blocos de alvenaria capazes de gerar eletricidade

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Exeter, no Reino Unido, desenvolveu um novo tipo de bloco solar de alvenaria capaz de produzir energia elétrica. O bloco “Solar Squared“, para uso exterior, pode facilmente ser integrado em fachadas de edifícios, tal com se de um bloco de alvenaria corrente se tratasse.

A tecnologia “Solar Squared” permite não só, graças à integração de células fotovoltaicas, a produção de energia, mas também a entrada de luz solar para o interior dos edifícios, oferecendo igualmente, de acordo com os engenheiros de Exeter, boas propriedades de isolamento térmico.

Os edifícios consomem cerca de 40% da eletricidade produzida a nível global, sendo que apenas uma parte ínfima desta energia é atualmente produzida nos próprios edifícios. No que diz respeito ao aproveitamento de energia solar, o problema encontra-se principalmente no facto de os sistemas fotovoltaicos necessitarem de grandes áreas de painéis solares para terem uma produção significativa e de terem, no geral, um impacto visual negativo nas fachadas e coberturas de edifícios.

A integração de tecnologias solares diretamente na envolvente dos edifícios permite, em parte, ultrapassar algumas das limitações importantes dos sistemas fotovoltaicos tradicionais.

A solução dos investigadores britânicos centra uma parte significativa dos elementos necessários à produção de energia, nos próprios materiais de construção.
Os blocos “Solar Squared“, que foram desenvolvidos em colaboração com a fabricante de blocos de vidro Glass Block Technology Ltd, possuem no seu interior uma rede de elementos óticos que permitem a concentração dos raios solares em células fotovoltaicas estrategicamente posicionadas.

O sistema de alvenaria é também, por natureza, completamente modular e escalável, permitindo uma integração arquitetónica praticamente impercetível.

 

Fonte: EngenhariaCivil.com; Universidade de Exeter | Imagens (adaptadas): EngenhariaCivil.com; via Universidade de Exeter




Outros artigos interessantes:




Comentar

* Obrigatório