Investigadores alemães fabricam vidro electrocrómico para construção com propriedades surpreendentes

2 Fevereiro, 2017.

Investigadores alemães fabricam vidro electrocrómico para construção com propriedades surpreendentes

Investigadores do Instituto Fraunhofer de Investigação Aplicada de Polímeros (IAP) localizado em Potsdam-Golm, Alemanha, em cooperação com a empresa fabricante TILSE, desenvolveram um novo processo de fabrico de painéis de vidro electrocrómico, que permite obter elementos envidraçados capazes de mudanças de fase ultrarrápidas.

Tradicionalmente os painéis de vidro electrocrómico são fabricados com recurso ao revestimento, de elementos de vidro corrente, com uma fina película de Óxido de Estanho de Índio ou Óxido de Estanho com Flúor. O revestimento translúcido permite que os painéis reajam a uma estimulação elétrica, que origina a mudança de cor, transparência ou tonalidade do vidro.

A alternância entre fases, caracterizada, por exemplo, pela transição entre a completa translucidez e a opacidade total demora, em geral, nunca menos de 15 a 20 minutos em vidro electrocrómico fabricado com recurso a métodos correntes.

De forma a permitir uma aceleração radical na transição de fase, os engenheiros alemães recorreram a monómeros orgânicos, integrados numa resina especialmente desenvolvida para o efeito.
Apesar do novo processo continuar a utilizar painéis de vidro revestidos com Óxido de Estanho como substrato inicial, tem como inovação o facto da ligação entre painéis ser efetuada recorrendo a uma camada intermédia de resina saturada com a mistura molecular electrocrómica.

Além da transição passar a ser feita de forma muito mais rápida, também são necessárias voltagens mais baixas e torna-se possível a utilização de painéis de base coloridos.

De acordo com a equipa de investigadores do Instituto Fraunhofer, ensaios com painéis envidraçados de 1,2 metros quadrados de superfície, permitiram observar processos de mudança de fase com duração de apenas 20 a 30 segundos.

Os novos painéis possuem também maior resistência mecânica que os painéis correntes, podendo elementos com apenas duas camadas serem utilizados em superfícies envidraçadas sujeitas a ações de tráfego pedonal.

Fonte: IAP | Imagens (adaptadas): via IAP




Outros artigos interessantes:




Comentar

* Obrigatório