Instituto alemão está a revolucionar o mercado fotovoltaico com novos processos de fabrico de células solares

16 Maio, 2016.

Instituto alemão está a revolucionar o mercado fotovoltaico com novos processos de fabrico de células solares

O Instituto Fraunhofer de Sistemas de Energia Solar (ISE) anunciou o desenvolvimento de um novo processo de fabrico de células solares, com potencial para mudar a face do mercado da energia fotovoltaica. A tecnologia faz uso de equipamento laser para a obtenção de células mais eficientes que as produzidas através de processos tradicionais.

Além de unidades mais eficientes, a tecnologia LFC (“Laser-Fired Contact“) possibilita a obtenção de células do tipo PERC (“Passivated Emitter and Rear Cell“) a um custo mais reduzido e, pela primeira vez, a uma escala industrial.

No processo de produção desenvolvido pelo ISE, o procedimento LFC permite, com uma única emissão de laser e em apenas 1 segundo, estabelecer cerca de 100 mil contactos condutores entre o elétrodo de metal e a placa de silício. Estes contactos elétricos, têm de atravessar uma película não condutora, localizada sob a célula solar e são essenciais para a transmissão de energia entre componentes do sistema.

As células PERC assim fabricadas possuem uma eficiência absoluta cerca de 1% superior às obtidas com processos correntes, elevando a eficiência média daqueles elementos fotovoltaicos de 20 para 21% (um ganho relativo de 5 pontos percentuais).

Além desta melhoria direta nas células fotovoltaicas, o Instituto Fraunhofer consegue ainda um ganho relativo de eficiência de 2% através de otimizações globais do sistema, o que significa um aumento conjunto de 7%.

Embora à primeira vista estes valores pareçam reduzidos, o seu impacto na construção de parques fotovoltaicos pode ser enorme, uma vez que a maiorias dos custos relacionados com a instalação são proporcionais à área de superfície.
De acordo com os investigadores do ISE isto significa um uso menor de silício e de outros materiais associados à estrutura de painéis solares, sendo possível produzir a mesma eletricidade equivalente a 100 metros quadrados em apenas 93 metros quadrados.

O processo de fabrico com recurso à tecnologia LFC pode ser facilmente introduzido nas atuais cadeias de produção, sem alterações físicas ou operacionais de grande dimensão.

Fonte: ISE | Imagens (adaptadas): via ISE




Outros artigos interessantes:




Comentar

* Obrigatório