Utilização de Nanotubos de Carbono no Fabrico de Revestimentos Resistentes ao Fogo

21 Janeiro, 2014.

Nanotubos de Carbono no Fabrico de Revestimentos Resistentes ao Fogo

Investigadores do Instituto Nacional de Normas e Tecnologia (NIST) utilizaram nanotubos de carbono para o fabrico de um revestimento capaz de aumentar significativamente a resistência ao fogo de superfícies porosas. O material, com grande potencial de aplicação à indústria da construção, tem uma espessura 100 vezes inferior ao diâmetro de um cabelo humano e permitiu, em laboratório, reduzir em 35% a inflamabilidade de placas de espuma de poliuretano.

O novo material isolante é constituído por quatro sequências de camadas de nanotubos de carbono confinadas entre camadas de polímeros e permite uma distribuição uniforme e forte adesividade à superfície a proteger.
Devido às microscópicas dimensões dos sucessivos estratos do material, o seu processo de fabrico envolveu técnicas comummente usadas na síntese e manipulação laboratorial de ADN, sendo a adesão entre as camadas fomentada pela distribuição de moléculas de azoto ao longo do extradorso dos nanotubos de carbono.

O sistema de proteção passiva assim obtido tira partido de uma das mais interessantes propriedades dos nanotubos, a sua muito elevada capacidade de dissipação de calor resultante da extensa superfície específica destas microestruturas. Além disso, quando o material entra em contacto direto com o fogo, forma uma camada carbonizada que fornece proteção adicional e prolonga o tempo de proteção útil.

Fonte: NIST
Imagens: NIST (adaptadas)




Outros artigos interessantes:




1 Comentário a Utilização de Nanotubos de Carbono no Fabrico de Revestimentos Resistentes ao Fogo

  1. Segurança Contra Incêndio em Edifícios e Recintos em Conferência em Évora | EngenhariaCivil.com

    […] a Conferência Medidas de Autoproteção. A conferência abordará o Regime Jurídico de Segurança Contra Incêndio em Edifícios e Recintos, Decreto-Lei 220/2008, de 12 de Novembro, relativo a implementação das medidas de […]

Comentar

* Obrigatório